Um chocolate e um cobertor

receita de chocolate quente: 300 mL de leite, 2 colheres de sopa de chocolate em pó, uma colher de chá de maizena e duas colheres de leite condensado. dissolver a maizena separadamente e depois misturar tudo. deixar em fogo brando.

Segunda se tornara o melhor dia da semana, pois agora era sua lei, era dia de escrever. Escrevia às segundas, publicava às terças e passava os outros dias memorizando as palavras seguintes, rascunhando aqui e ali daquele jeito desorganizado que tinha. E funcionava.

Continue Lendo “Um chocolate e um cobertor”

Anúncios

Risoto de shitake: a receita

risoto de shitake

A refeição a seguir vem de um domingo descompromissado de outono, em que se começa a cozinhar às 15h depois de uma manhã petiscando no mercado. A gente liga uma música, abre uma garrafinha de vinho, enche o coração de afeto e vai pra cozinha picar, refogar e misturar.  As fotos foram encontradas em meio à limpeza de dropbox. Como ficaram boas e é tudo bem simples de fazer, fica eleito o prato de 2014. Assim, eu registro uma lembrança e você ganha uma receita. 😉

Continue Lendo “Risoto de shitake: a receita”

Chá das 22h: maracujá com maçã

chá de maracujáQuando eu morava no interior e via o ~estresse~ sendo tema do Globo Repórter, achava difícil imaginar um lugar onde as pessoas tivessem um semblante tão desolado como nas grandes capitais. Eu nem sonhava que um dia me tornaria uma delas, com todos os males a que sociedade pós-moderna tem direito: cansaço exacerbado, falta de tempo, ansiedade…

Continue Lendo “Chá das 22h: maracujá com maçã”

Pra quebrar o doce

Depois da lista açucarada de músicas que postei na página ontem, o jeito é tentar dar uma equilibrada com algo de sal. E emendando a sequência de posts de dia dos namorados, que já teve sugestão de DIY e música, agora a sugestão da receita que fizemos ontem.

Na verdade, Fabio e eu tivemos uma noite romântica a cinco, pois recebemos a visita de uma ex-moradora da casinha (beijo, Amanda) e de um dos melhores amigos da outra Ana que mora comigo (beijo, Rafa). No final, o que rolou foi uma minifesta com direito a muita comilança e gargalhada.

E a minha experiência como chef foi o caldo de abóbora com amêndoas. Nunca tinha feito e cozinhei sem receita. Mas eu presumo que deu certo, dada a rapidez com que o conteúdo da panela foi liquidado.

sopa de abóbora

É ótimo para os dias frios e demora nada pra fazer, já que abóbora cozinha rápido. Pra você tentar fazer em casa, a receita é simples:

Ingredientes (para seis pessoas):

2 abóboras pequenas; 1/2 cebola grande picada; 2 dentes de alho picadinho; peito de frango picado em cubinhos; amêndoas picadas; sal e pimenta do reino a gosto; manteiga.

ingredientes_sopa

Como fiz:

Cozinhei a abóbora (como é a coisa mais chata do mundo pra descascar, primeiro eu corto em cubos e cozinho e só depois tiro a casca). Com tudo cozido e picado, derreti a manteiga e dourei a cebola um pouquinho, acrescentando o alho e o frango em seguida. Bati a abóbora com um pouco de água no liquidificador e acrescentei à panela. Depois foi só ir adicionando o sal e a pimenta e deixar em fogo baixo por uns 5 minutos.

Dourei a amêndoa na frigideira, só pra ficar mais crocante e… Servi!

#ficaadica pro inverno que tá chegando! 😉

E a Páscoa chegou…

Um dia lindo e feliz pra você! Que seja doce e repleto de renovações!

A essa altura, imagino que você já tenha se fartado de chocolate e trocado todas as guloseimas possíveis com os queridos. Nessa história toda, eu que me atrasei e só hoje consigo postar o pote de Páscoa mais simples do mundo.

De um lado, um ex-pote de geleia e as sobras de tecido vermelho de bolinhas. De outro, leite condensado, bis, chocolate em pó, cappuccino e manteiga. No meio, a ansiedade da TPM e uma vontade enorme de sossego às 11 da noite. Tudo certo pra pegar os fones de ouvido e partir rumo ao fogão.

Na receita, gastei:

1 lata de leite condensado

½ pacote de bis branco

4 colheres de manteiga

2 colheres de cappuccino

2 colheres de chocolate em pó

Como os brigadeiros estão em camada, dividi a lata de leite condensado em 4 porções iguais e fui fazendo um a um.

Brigadeiro branco: misturei o leite condensado e a manteiga, em fogo baixo, até ficar consistente e começar a desgrudar da panela.

Brigadeiro de cappuccino e de chocolate preto: misturei o cappuccino e/ou chocolate em pó com a manteiga e acrescentei o leite condensado em seguida, mexendo, em fogo baixo, até ficar consistente ou começar a desgrudar na panela.

A cada camada de brigadeiro, uma camada de bis picadinho.

E assim foi feita uma sobremesa atemporal e quase universalmente agradável. Tudo tão simples, mas tão simples… A gente nem precisa de muito pra adoçar a vida!

p.s: pra quem, assim como eu, não vive sem música, uma dica do que tinha na minha trilha sonora:

Pendência 15: um risoto para o outubro rosa

Não foi proposital. Uma coincidência cair bem no mês de outubro. Há tempos queria experimentar este risoto de morango com gorgonzola, prato aprendido e divulgado pela amiga Mayra Lopes.

Faz um ano que a receita foi publicada no blog Gordelícias, com fotos super lindas, feitas pelo Rodrigo Valente – amigo meu e marido da Mayra  –  e uma história muito especial.

Ingredientes (para quatro porções, eu fiz metade):

Para o brodo:

– legumes variados (pode ser o que tiver na geladeira, mas geralmente uso abobrinha, chuchu, cenoura, batata e uma cebola).

Para o risoto:
– 1 cebola
– 2 colheres (sopa) de manteiga
– 400g de arroz arbóreo
– 1 copo de vinho branco
– 1 caixa de morangos
– 200g de queijo gorgonzola
– 200g de queijo parmesão fresco ralado
– Sal a gosto

 

Modo de fazer:

Para o brodo, ferva os legumes picados em água por aproximadamente 40 minutos e reserve. Esse caldo de legumes servirá para cozinhar o risoto. Frite a cebola em uma colher de manteiga (uma dica para não queimar a manteiga é colocar um fio de azeite antes de levá-la ao fogo). Acrescente o arroz arbóreo e refogue. Jogue o vinho branco até evaporar o álcool. Vá acrescentando aos poucos o caldo de legumes, mexendo sempre. Quando o arroz estiver al dente, acrescente o morango e o queijo gorgonzola. Mexa bem, jogue uma última concha do brodo. Quando estiver evaporando, acrescente uma colher de manteiga e o queijo parmesão, sem parar de mexer. Pode parecer que vai ficar aguado, mas ele seca. Como o gorgonzola já é salgado, é mais seguro experimentar no final e corrigir o sal. Tampe e aguarde 10 minutos. Está pronto!

*Fiz tudo quenem. Só “assassinei” o risoto usando caldo de legumes industrializado. Como não almoço e raramente janto em casa, fiquei com dó de desperdiçar os legumes do brodo. Mas mesmo assim, ficou muito bom.

p.s.1: copiei a receita bem na íntegra, já que meu dia não está pra paráfrases…

p.s.2: o Rodrigo arrasa muito mais nas fotos que eu. Melhor ir pelas dele.

A receita, na verdade, é de uma prima-irmã da Mayra, que faleceu há um ano, vítima da metástase de um câncer de mama. Nós, amigos, acompanhamos toda a história. E ainda ouvimos muitas outras quando nos encontramos. Gabi, a prima, aproximou-se da cozinha durante o tratamento. E, além de receitas, deixou lições muito bonitas a todos.

Uma delas foi o apoio à campanha de prevenção contra o câncer de mama. Lembro-me que, em fevereiro de 2009, quando me mudei pra BH, desesperada com a possibilidade da minha mãe estar com a doença, ela tranquilamente me disse: “o mais importante é não se desesperar e ir vivendo as etapas uma de cada vez, no seu tempo”. Sabemos o quanto ela está melhor agora.

Então que o risoto rosa foi providencial para o outubro rosa. E mais providencial ainda foi um vídeo que outra amiga postou na minha timeline do face.

Mulherada do meu cuore, vamos fazer exames preventivos periodicamente?! Sim!