A vez do romantismo

Na limpeza progressiva de desktop. E hoje mais feliz que segunda, já que um dos projetos do trabalho (de comunicação) deu certo! Coisa melhor do mundo é fazer o que a gente ama, né?!

A pastinha de hoje tem algumas fotos do último pingente que fiz, um mini-bouquet de pérolas cor-de-rosa. Impossível ser mais romântico…

Mas aí que tem uns processos que a gente acha que fotografou direito e quando vê, fotografou pela metade. 😦 Como esse é dos mais fáceis, estou postando mesmo assim. Ó só:

material_pingente

Alicate + cola pra bijoux + pinos + pérolas + argolinhas + corrente + tira de renda + araminho (ok, nem tão simples, mas dá pra encontrar tudo em loja de artesanato/ material pra bijuteria).

passoapasso_pingente

Coloca a perolazinha nos pinos, uma a uma, junto com uma gotinha de cola. Depois, junta tudo, amarra com o araminho e com a tira de renda e prende a argolinha. Aí é só passar a corrente e está pronto!

IMG_20130421_150450

Deu pra entender?

No ateliê da Dona – colar de corrente e madeira com amarelo

Remanescente de 2012. Um dos colares mais fáceis e baratos que já fiz. E que fica bem bonito quando usado com listras, marinho e cinza. Porque é sempre bom que a gente tenha umas extravagâncias…

E quem quiser pode fazer. Veja bem:

– Bolinhas de madeira: R$1,60 o pacote com 20, na galeria do Ouvidor.

– Tinta fosca para artesanato Acrilex amarelo limão: R$2,00 na papelaria da Leitura.

– Corrente: 3,20 o pacote com várias, na galeria do Ouvidor.

– Pincel, fita crepe e alicate. 

Veja um pouquinho mais:

Depois é só colocar a corrente e… Pronto! Um colar novo por praticamente 10 dinheiros. 🙂

Para uma amiga intelectual e ocupada…

Um colar com pingente livro/moleskine.

Tenho encontrado tantas ideias lindas e inspiradoras que às vezes me dá vontade de viver só de Natal, pode?!

A primeira lembrança eu consegui fazer. Para uma amiga super especial. O modelo eu já tinha visto, mas o passo a passo não. Imaginei que não seria difícil. E realmente não foi. O tempo de uma “A Grande Família”, episódio de quinta-feira passada.

Para o pingente, usei:

Um pedaço de couro (encontrável em qualquer capotaria mais próxima); folhas de papel reciclato; grampeador; fitinha de cetim (dessa que vem com tag de roupa e que eu nunca jogo fora); elástico de cabelo; cola; alicate furador (desnecessário, mas como eu tinha…); alicate de bijuteria; tesoura; e corrente.

Etapas:

Cortei a tira de couro em mais ou menos 7X3cm. Com um isqueiro, queimei o couro pra dar um acabamento de livro de segredos antigos.

Cortei as tiras de papel, grampeei ao meio e, com cola, colei o “miolo” no verso do couro. Antes, colei a fita de cetim. A coisa toda tinha que ficar bem acabadinha, né?!

Por último, o elástico de cabelo, com dois nozinhos na “contracapa” do mini-livro. Depois, foi só colocar a corrente. Furei o couro com o alicate furador e encaixei os elos (aquelas argolinhas).

Agora, só esperar pra ver se a amiga vai gostar. Espero que sim!

Pendência 23: montar um escapulário

Assim que terminei o colar de folhinhas da pendência 08, comecei a montar um escapulário colorido. Apesar de dar mais trabalho, escapulários sempre têm boas saídas. São delicados e podem ser combinados com outros colares. Ano passado vendi bastante.

A peça estava pela metade até ontem, quando aproveitei meu horário de almoço para concluir. Foi bom que usei durante o café da tarde, o que já me rendeu algumas encomendas para o Natal! \o/.

Ainda falta colar as pedrinhas dos pingentes, mas essa é a parte fácil.

Passarinhos na pendência 16

Reformar um pingente que ganhei em 2007. Tinha a ideia, tinha o material, só não tinha tempo. Até hoje!

Tenho paixão por passarinhos. Não que eu entenda deles, mas gosto do que eles representam: leveza e liberdade.  Para o projeto a seguir, usei jornal, tesoura, cola, caneta nanquim, alicate de bijuteria e coordenação motora. Mesmo assim, ainda teve um passarinho mais rabudo que o outro. Mas tudo bem…

Se você não tem caneta nanquim, serve qualquer uma de ponta mais fininha. E alicate de unha velho também quebra o galho em caso de ausência da ferramenta apropriada.

E no cordão…

“(…) eles passarão, eu passarinha”

Pendência 8: fotografar alguns colares que fiz

Bem…

Em abril, eu cheguei a publicar um post com um dos colares que estava fazendo para trocar por algumas realidades ($). Fiquei de mostrar os outros, mas foram acontecendo tantas coisas que acabei vendendo a maioria sem fotografar.

E aí que só tenho os quatro da foto para contar história. O de folhinhas azul é meu; o preto foi uma experimentação; o colorido foi uma encomenda desistida; e o neon foi comprado pela Ana, que mora comigo.

De qualquer forma, já dá pra ter uma ideia de como são minhas peças, não dá?!

Tutorial em vídeo – colar de viés

Terça-feira, feriadão… Bora aprender uma coisa nova?

Dei um super perdido no blog nos últimos dias, mas a causa é nobre. Logo escrevo um post contando sobre as novidades do meu abril. Recebi tantas energias boas para esse 2012 que o ano não poderia estar mais leve… E mais intenso! Esquisito, né?!

Mas vamos ao vídeo abaixo. Já que eu ando toda bijuterista, resolvi compartilhar mais um pouco desse lado “faça você mesmo(a)” e editar um vídeo ensinando a fazer um colar fácil, fácil! Desses ensinamentos de mãe, sabe?!

O bom é que, se bem feito, fica diferente, bonito e… Barato  (o que é mais importante). Um acessório novo por menos de R$10,00. Quem não quer?

É isso! Espero que você goste. Caso não, fica a dica do som para o feriado: Cake. Adoro!

Tenha um ótimo dia!

Bijoux da Dona – Prévia do que vem por aí…

Sempre com vida dupla, agora assessora em horário comercial e bijuterista nas horas de folga. Teremos uma coleção de colares em breve. Adoro fazê-los!  E o bacana de fazer algo com a finalidade de trocar por dinheiro é justamente a possibilidade de desviar o olhar de si para pensar no outro, que é quem deve gostar das peças. E aí você conclui que a diversidade é a coisa mais linda do mundo. Eu, por exemplo, não sou das mais adeptas do caveirismo, mas como a maioria das fundições que encontro está com essas carinhas ossudas, eu não pude deixar de levar algumas pra casa. E não é que estou gostando das peças? Logo, logo eu mostro tudo o que tenho feito.

P.S: Coisa chata é pensar na grafia dessa palavra… bijoux, bijous, bijus… Enfim! O Michaelis me mostrou que no português do Brasil o certo é bijuteria. Bijoux é a tradução em francês. Ui!