Playlist 6: as mais ouvidas em 2014

Sou dessas.

Quando gosto, ouço mil vezes a mesma música. Por isso, a 6ª playlist do blog é uma espécie de retrospectiva musical. Nela estão todos os sons ouvidos no mínimo 5 vezes seguidas em 2014. Ritmos que embalaram bons momentos no trabalho, no trânsito, na academia, na arrumação de quarto ou nas viagens, com breve explicação sobre cada um deles. Tem dica também!

Continue Lendo “Playlist 6: as mais ouvidas em 2014”

Cem Dias Entre Céu e Mar: o livro

cem dias entre ceu e mar

Até o 29º ano desta vida balzaca, eu pouco havia me interessado pelos feitos de Amyr Klink. Sabia se tratar de um grande navegador brasileiro e conhecia sua citação mais célebre, aquela que diz “que um homem precisa viajar, não por sua conta, não por meio de histórias…” de alguns perfis de amigos turismólogos orkut afora. De forma geral, nunca fui muito chegada às façanhas dos exploradores do mar. No meu imaginário, as assombrações das montanhas ganhavam de mil a zero de qualquer repertório de piratas ou coisas do tipo. Talvez por ter nascido entre elas. Vai saber…

Continue Lendo “Cem Dias Entre Céu e Mar: o livro”

Flor em vidro de esmalte: o artesanato

artesanato com vidro de esmalte

Eu era criança quando li em um livro – o qual não lembro o título – algo que mudou o curso de muitas coisas na minha vida daquele período em diante. Se não me falha a memória, o personagem principal era um jornalista que investigava a morte de Chico Mendes, no Acre. Na cena mais memorável, ele havia utilizado suas habilidades adquiridas num curso de garçom para descobrir algumas informações durante um jantar. O fato em si não seria tão relevante se ele não tivesse completado a narrativa com a ideia de que devemos ter ao menos um ofício na vida, mesmo que tenhamos uma graduação com diploma, pois está no ofício a garantia de que jamais morreremos de fome.

Continue Lendo “Flor em vidro de esmalte: o artesanato”

Risoto de shitake: a receita

risoto de shitake

A refeição a seguir vem de um domingo descompromissado de outono, em que se começa a cozinhar às 15h depois de uma manhã petiscando no mercado. A gente liga uma música, abre uma garrafinha de vinho, enche o coração de afeto e vai pra cozinha picar, refogar e misturar.  As fotos foram encontradas em meio à limpeza de dropbox. Como ficaram boas e é tudo bem simples de fazer, fica eleito o prato de 2014. Assim, eu registro uma lembrança e você ganha uma receita. 😉

Continue Lendo “Risoto de shitake: a receita”

Então é dezembro!

roda gigante

2014 chega ao seu último mês. Definitivamente, foi um ano mau para o mundo da arte, que deu adeus a poetas, escritores e atores que marcaram nossa infância, nosso amadurecimento literário e nossos universos fictícios. Já se foi nosso disco voador. Teve muita copa, eleições mais ainda e com tudo uma carga enérgica que apenas os astros podem explicar. 2014 foi tempestade. Agora o céu começa a clarear.
 .

Continue Lendo “Então é dezembro!”