Organizando… As bolsas!

Para meninas! Um dos posts remanescentes sobre organização, já que eu tirei o assunto do baú…

Assim como os sapatos, as bolsas podem ser o calcanhar de Aquiles da organização. Ponto fraco de muitas mulheres, há quem tenha coleção delas, né Paula?! O problema é que, na falta de onde guardá-las, acaba sobrando tudo para os pobres cabideiros do quarto. E o resultado? Uma montoeira que só.

Pra quem não se incomoda com a baguncinha inevitável, os cabideiros podem ser uma saída bacana mesmo. Mas a boa notícia é que existe vida além deles! E suas bolsas podem ficar muito bem guardadas no armário. Olha só:

E pra quem não se importa com os cabideiros, é possível tê-los com estilo:

*imagens reproduzidas

E você, como guarda suas bolsas?

Anúncios

Organizando… Os tricôs!

Já foram as malhas e as peças de cabide (bem, não necessariamente as peças, mas os cabides sim).  Chegou a vez dos tricôs.

Ao contrário das malhas, que devem ser guardadas nas gavetas, os tricôs merecem as prateleiras do armário. Como são peças de trama mais aberta e delicada, o recomendado é guardá-las dobradinhas dentro de saquinhos de tnt  (o must have da organização) com visor frontal. Caso você ainda não tenha sua coleção completa de saquinhos, embale a primeira e a última peça da pilha. Assim, os tricôs do meio ficarão protegidos.

*imagem reproduzida

Para deixá-los com cara de novinhos, lave-os sempre a mão, com água morna e sabão neutro, e lembre-se de dar pequenas espremidinhas pra tirar o excesso de água, em vez de torcer e correr o risco de deformar a peça.

Recolocando a ordem em dia!

Depois da pausa carnavalesca, a tag está de volta! Bora deixar a preguiça chuvosa pra lá e voltar a arrumar o armário? Sim!

Ainda sobre os cabides…

Você viu aquele monte de cabides no post anterior e percebeu que usa tudo errado? Tudo bem! É só uma questão de adaptação. Um exemplo:

Os cabides antigos podem ganhar ombreiras novas. Elas são vendidas separadamente.

Sabe aquela dobra inconveniente das calças que ficam muito tempo penduradas? Então… É possível não tê-las. Basta encapar a divisória do cabide com um tecido de algodão ou feltro.

E por falar em feltro, saiba também que ele pode ser a solução para muitos problemas. Nas ombreiras dos cabides, por exemplo, ele evita que os tecidos mais finos desfiem e escorreguem, além de dificultar a deformação das peças.

Sobre as cores e conservação…

Você já teve um caixa de lápis de cor, ao menos no jardim de infância, certo?!

Agora, repare como as cores dos lápis acima estão em harmonia. Tons quentes, frios e neutros. Viu?! Você pode deixar seu armário assim!

Atenção especial para algumas cores. Vermelho, marinho, preto e branco podem “queimar” ou desbotar, dependendo do grau de luminosidade incidente sobre a peça. Proteja-as com capas de TNT próprias para cabide. Como essas aqui ó:

*imagens reproduzidas

Pra alegria de todos, achei duas lojas bacanas que vendem as peças: http://www.lojaoz.com.brhttp://americanorganizer.com.br

E você, tem alguma sugestão?

Só pra pendurar!

E o assunto de hoje é… O cabide! Pois é, aposto que em sua rotina de arrumação de guarda-roupa você nem dá muita atenção a ele, estou certa?!

Tudo bem!  Nunca é tarde para aprender que os cabides são tão fundamentais para a conservação das roupas quanto aqueles produtos que eu recomendei aqui.  Também é importante ter cuidado com os materiais. Se forem de madeira, que esta seja envernizada. Metal cromado e acrílico são outras opções.

Depois de muito pesquisar as imagens, consegui fazer uma seleção dos cabides mais adequados a cada tipo de vestuário. Seguem:

1 – Possui as partes laterais ovaladas. Ideal para blazers e paletós.

2 – A estrutura é basicamente a mesma do primeiro, com a diferença de que esse é um cabide adequado para conjuntos, ternos e/ou terninhos.

3 – Ideal para tailleurs. Nesse caso, as saias deverão ser penduradas pelo cós.

4 – Cabide adequado para vestidos modelo tomara-que-caia, saias e calças avulsas. Se você tiver um armário alto e espaçoso, o ideal é prender as calças pela barra, de forma que elas fiquem com o cavalo pra baixo. A força da gravidade irá deixá-las esticadas.

5 – Também é indicado para calças. Nesse caso, as peças ficam dobradas ao meio.

6 – Cabide ideal para quem precisa economizar espaço, pois nele cabem muitas calças ao mesmo tempo. Só é preciso ter cuidado para não criar um volume excessivo nas laterais. Também é bom para cachecóis e pashminas.

7 – Com vários ganchinhos, é uma boa pedida para gravatas e cintos.

8 – Para deixar os lenços e echarpes bem à vista dentro do armário.

9 – Como o cabide nº 7, é mais uma alternativa para gravatas e cintos.

10 – Com nervuras nas laterais, é o cabide dos vestidos e blusas de alça. (Sabe aquelas fitinhas de cetim que vêm nas laterais internas de algumas roupas? Então, esse cabide é pra elas!).

11 – Cabide skinny. Pra quem não tem muito espaço a perder dentro do armário. Oi!

É possível encontrar esses tipos de cabides em grandes lojas de artigos para o lar. Lojas especializadas em objetos de organização também são certeiras. Caso você tenha pouca paciência em procurar e algum dinheiro a mais pra gastar, uma boa saída é contratar aquele seu (ou dos seus pais) marceneiro de confiança.

Alguma dica?

Organizando… As malhas!

Assim, só pra não criar expectativas. Se alguém aí estava esperando ver aquele closet-dos-sonhos como exemplo para a organização, sinto dizer que vou decepcionar. O objetivo da coisa toda não é mostrar marcas, descrever o que tenho e tal, mas tentar dar dicas úteis de como manter tudo em ordem (ainda que se viva num quartinho bem pequeno, com um armário de três portas e uma cômoda para guardar tudo, como eu).

Também é claro que eu não elaborei as dicas sozinha. Para isso, contei com livros escritos por profissionais que atuam no ramo há tempos, como Titta Aguiar, por exemplo, umas das veteranas em consultoria de imagem no Brasil.

*imagem reproduzida

Começando pelas malhas:

“Tudo que não amasse deve ser guardado em gavetas, menos o tricô.”

E é verdade.  Eu separo as peças de malha assim: brancas, pretas, cinzas e de tons pastéis em uma gaveta, dobradas como se estivessem na loja, e coloridas, de tons vibrantes, em outra, em rolinhos (para facilitar a visualização).

O ideal é que haja uma padronização. Se você optar por rolinhos, que seja tudo em rolinhos. Se optar pelas peças dobradas, que sejam todas dobradas. No meu caso, faço uma gaveta de um jeito e outra de outro por uma questão de espaço. Como tenho mais peças de cores neutras, a gaveta ficaria muito confusa se eu as dispusesse em rolinhos. Na hora de pegar, ia ser um rolo só, literalmente.

Também é importante organizar as peças conforme as cores, do claro para o escuro, ou vice-versa.

E você? Como tem organizado suas malhas?