Pendência 12: reformar uma mini-estante

Uma das últimas coisas que Seu João, ex-carpinteiro do colégio, fez pra mim. Movelzinho todo montado com lousa descartada, entregue em abril. Lembrança mesmo, já que o artista se aposentou e eu mudei meu local de trabalho logo em seguida.

Faltavam tinta, rodinhas e uma personalidade. Agora tem tudo! Segue:

Antes:

Durante:

Depois:

Ufa! Resolver isso me cansou, viu?! Agora vou dormir que a pendência de amanhã vai começar a ser resolvida cedo…

Pendência 11: pregar o porta-cartas na parede

Sexta-feira, 22h46, e eu resolvendo pendências. #disciplinarules

Essa nem foi tão difícil, mas estava enrolada desde o início de setembro, quando comprei o porta-cartas na feirinha da torre, em Brasília.

Eu gosto bem de tudo que é vintage e retrô. Esse ar nostálgico me traz sensações muito boas. A peça em questão é assim. E serve tanto pra pendurar chaves quanto guardar correspondências. Na parede da sala, claro.

Então que, para a moça não ficar solitária tomando sua Coca-Cola, eu aderi à moda das molduras vazias e coloquei duas delas ao lado, pra dar uma bossa… Tudo com fita dupla-face, já que nem em sonho eu poderia usar a furadeira a essa hora da noite.

E ainda dá pra escolher o que colocar dentro delas…

A lâmpada dessa luminária é que está totalmente fora do clima, rsrs. Vou dar um jeito nisso!

Pendência 10: recomendar o filme que mais me tocou em 2012

Era uma pendência desde março, quando assisti a Medianeras – Buenos Aires na Era do Amor Virtual. A recomendação veio da irmã, completamente imersa na língua espanhola e na internet, sua forma mais fácil de comunicação com a gente do lado de cá. “Foi um filme que me fez pensar, sabe, mana?!”, ela disse.

Muitos blogs já falaram sobre o assunto. Mas é aquela coisa: as lentes sempre são diferentes, né não?! E como é quinta-feira, a gente aproveita e dá a dica. Vai que alguém está precisando de um filme para o final de semana.

Bem… O longa conta a história de Martín e Mariana, que vivem na mesma cidade, na mesma quadra, mas nunca se encontram, até que acabam se conhecendo virtualmente.

Todo o enredo gira em torno de situações com as quais é impossível não nos identificar: o crescimento desordenado das cidades, a falta de sintonia entre as pessoas, as relações mediadas pela internet…

E a gente consegue pensar sobre o quanto o mundo realmente está maluco e sobre o quanto temos precisado de subterfúgios para viver nessa loucura. Hipocondrismo, fobia social e depressão são só alguns dos males da vida pós-moderna. No entanto, tudo isso é tratado com leveza e algum humor. Frases como “não consigo encontrar o interruptor para apagar a cabeça” e “ser saudável é muito estressante” vão dando um tom divertido ao filme.

* Imagens extraídas da fan page do filme.

E, além de tudo, ainda tem a simbologia do Wally, super pertinente ao contexto. Segue trailer.

Bem… Acho que falei demais. De qualquer forma, vale muito a pena assistir.

Extra: gostei tanto da música do trailer, do Daniel Johnston (que eu não conhecia), que busquei outras versões. Segue um cover bem lindinho, gravado por Beck.

Sô romântica?!

Pendência 9: fazer meus cartões de visita

Essa demorou bastante. Já tem um ano que comecei a reformular o material de papelaria dos trabalhos de consultoria e ainda não tinha terminado os novos cartões de visita. Estava usando os antigos. Tudo errado!

Quando pensei no novo layout do blog, quis as cores mais frias justamente para poder usar a mesma identidade visual em tudo. Por mais que o Dona Drama seja pessoal, o espaço não deixa de refletir o universo de onde tiro as inspirações para alimentar meu senso estético (parece esnobe, mas não é!). Tudo está interligado.

Vou mandar fazer os da consultoria primeiro. Depois faço os do blog. Preciso só de um olhar mais profissional sobre eles (que será dado amanhã).

Escureci um pouco a imagem, mas o tom da textura será o mesmo que o utilizado no cabeçalho acima.

Uma dica importante pra quem é multitarefas: é recomendável usar cartões diferentes para funções diferentes, entregando cada qual no momento mais oportuno ao que se quer prospectar. Pelo menos, foi assim que eu aprendi!

 

Ufa! Minha cabeça dói tanto hoje que pensei que não sairia.

Pendência 8: fotografar alguns colares que fiz

Bem…

Em abril, eu cheguei a publicar um post com um dos colares que estava fazendo para trocar por algumas realidades ($). Fiquei de mostrar os outros, mas foram acontecendo tantas coisas que acabei vendendo a maioria sem fotografar.

E aí que só tenho os quatro da foto para contar história. O de folhinhas azul é meu; o preto foi uma experimentação; o colorido foi uma encomenda desistida; e o neon foi comprado pela Ana, que mora comigo.

De qualquer forma, já dá pra ter uma ideia de como são minhas peças, não dá?!

Pendência 7: revitalizar um souvenir

Lembra que contei em um post que minha miniatura da torre Eiffel quebrou durante a viagem? Então… Eu colei, mas foram tantos os acidentes domésticos que ela acabou quebrando mais ainda.

De tanto colar, uma parte do ferro já estava branca. E aí que, navegando pelo Pinterest, eu encontrei essa imagem que me deu a ideia de como deixá-la nova. Segue…

a inspiração:

o processo:

o resultado:

mais uma pendência cumprida! 🙂