(…) e que escrever me alivia!

Não! Não vou justificar esse hiato com a falta de tempo. Isso é chato e não é desculpa só minha. Tempo anda sendo artigo de luxo pra todo mundo. A bem da verdade, nem cabe aqui essa questão, pois já faz uns meses que deixei de falar “nós” para voltar a falar “eu”, o que se traduz em domingos 78% mais longos e algumas noites vazias. Só aí tem brecha pra um monte de posts.

Tenho sentido uma crescente vontade de escrever. Mas pra montar as palavras de forma consistente, preciso buscar a clareza de ideias, uma cadência que dê sentido ao que é pensado. Senão fica só um amontoado de letras.

De qualquer forma, vou fazer o exercício.

Há algumas semanas, decidi que meu tempo livre seria sabático. Precisava me organizar internamente, tomar fôlego, pensar um pouco em mim e em tudo o que eu quero daqui pra frente. E no que eu quero com o que eu quero. E no que eu não quero (com o perdão da confusão).

Acredito que é sempre bom dar vez pra esse tal de autoconhecimento. Na verdade, é fantástico, mágico! É no conhecer-se que a gente descobre pedacinhos escondidos, quietos ou adormecidos. Que a gente, de repente, enxerga um lado meio rebelde, que não aceita mais ou menos, nem pouco, nem talvez. Que a gente aprende que é forte e que, no fim das contas, dá conta de tudo, mesmo achando que não dá. Que a gente olha pra trás e vê que já passou por poucas, boas e ruins e, ainda assim, está de prontidão pro que há de vir.

Uma tarefa diária e que sempre rende novidade. Todos os dias, eu descubro algo diferente a meu respeito. Às vezes bom, às vezes não e às vezes no tanto faz. Pretendo manter essa janela aberta, pois é no conhecer-me que eu aprendo a dialogar com uma outra Ana, que eu me acolho e, principalmente, aprendo a me aceitar e a me proteger.

E depois de tanto olhar pra dentro, sinto que estou pronta de novo. Inspirada para as coisas bonitas que vejo todos os dias. Tenho pensado muito no blog e no que eu pretendia quando o criei. Apesar de não me limitar a um só tema, acho que preciso de um norte, de uma linha que vá conduzindo os assuntos. Ainda estou meio perdida quanto a isso, mas sei que vou encontrar um jeito. E também aceito sugestões (hello friends!).

Bom, acho que por hora é só… Alívio! Faltou um final melhorzinho, mas como tá frio e meus pés gelados estão me tirando a concentração, fica pra próxima. O importante era não postergar o post! 😉

Imagem daqui.

Anúncios

2 comentários em “(…) e que escrever me alivia!”

  1. linda…que texto mais inspirador..para a gente começar a se olhar mais e conseguir dar para essa vida o nosso melhor!! Amooooo…ja estou com mta saudade viu!! bjbj

  2. Frô, tinha tanto tempo que não passava por aqui!!! Estava com saudades. Com os últimos acontecimentos “tudo-junto-e-misturado”, nem percebi que estava com saudades de mim, de vc e de nós. Das nossas conversas na volta da pós, dos planos de trabalho que até hj não colocamos em prática, de rir, de chorar juntas… mas não tem problema não. A gente vai matar esta saudade rapidinho, né? Prometo que da próxima vez não vou dar bolo sem nem ao menos avisar. Foi mal… a correria dos preparativos do casório está apertando. Bora tomá um café e proseá?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s