Organizando… As bolsas!

Para meninas! Um dos posts remanescentes sobre organização, já que eu tirei o assunto do baú…

Assim como os sapatos, as bolsas podem ser o calcanhar de Aquiles da organização. Ponto fraco de muitas mulheres, há quem tenha coleção delas, né Paula?! O problema é que, na falta de onde guardá-las, acaba sobrando tudo para os pobres cabideiros do quarto. E o resultado? Uma montoeira que só.

Pra quem não se incomoda com a baguncinha inevitável, os cabideiros podem ser uma saída bacana mesmo. Mas a boa notícia é que existe vida além deles! E suas bolsas podem ficar muito bem guardadas no armário. Olha só:

E pra quem não se importa com os cabideiros, é possível tê-los com estilo:

*imagens reproduzidas

E você, como guarda suas bolsas?

Anúncios

Do fundo do baú

Resumindo as duas últimas semanas:

Eu quis tomar um café e o mau jeito me fez um torcicolo; eu quis estudar estatística e a procrastinação me fez criar um Facebook; eu quis economizar dinheiro e a oportunidade me fez comprar uma mesa de jacarandá; eu quis fazer muitos posts no feriado, mas um trabalho (muito legal) sobre Mídias Sociais me fez adiar. E eis que só hoje consigo um tempinho pra postar algo que não seja alguma descoberta musical.

E o que o fundo do baú tem a ver com isso? Bem…Tem a ver que o post de hoje é pra falar do quanto os baús dos nossos avós, tios e tias podem ser os nossos brechós particulares. Quer saber como? Dê só uma olhadinha:

A moda tem dessas coisas. Vira e mexe reatualiza o passado. E com as bolsas transversais, populares na década de 70, não foi diferente. Muitos modelos estão repaginados.

Agora, sinceramente, apesar do toque contemporâneo das novas peças, um pouco de história a tiracolo tem lá o seu charme, concorda?!

Por isso, a importância dos brechós particulares. Fundo de baú tem ouro!

Música de quarta…

Mas com clima de sexta!

Eu nem queria postar um vídeo seguido do outro, mas como a última semana foi de muitos acontecimentos, o jeito hoje foi colocar mais música pra alegrar a primeira quarta-feira do inverno.

E amanhã tem feriado. Coisa boa!

Laiá, laiá, laiá… Com o beijo da Maria tudo vai se ajeitar!

Apanhador Só

Das descobertas mais deliciosas dos últimos tempos!

A sonoridade da banda gaucha é desafiadora: o rock mistura-se com as mais diversas influências e referências, seja com a presença do bandoneon em um legítimo tango, ou na sucata utilizada como percussão – furadeira, máquina registradora, pato de borracha e até uma bicicleta modificada, que acompanha o grupo no palco. Toda essa atmosfera curiosa é completada pelas letras inspiradas de Alexandre Kumpinski, as guitarras impressionantes de Felipe Zancanaro, as envolventes linhas de baixo de Fernão Agra e a bateria elegante de Martin Estevez. Fonte: Oi Futuro.

Agora a notícia boa: a banda vai tocar em BH hoje e amanhã. Gostei tanto que até dou a agenda.

Dia 22 de junho, hoje, 21h, no Teatro Oi Futuro BH: Av. Afonso Pena 4001 – Mangabeiras/ Ingresso: R$ 15,00* | Classificação etária: 14 anos

Dia 23 de junho, amanhã, 13h, na Praça do Papa | e 16h, Praça da Liberdade

Também vale o clique no site  do grupo, que, além de ter um visual lindo, disponibiliza os dois álbuns gratuitamente pra download.

Lupa:

“A Apanhador Só propõe um sistema de escambo que visa a reutilização de materiais. Em troca de cinco fitas cassete fora de uso (em bom estado), a banda oferece uma fita do Acústico-Sucateiro – com projeto gráfico completo – reutilizado a partir de uma fita tocada anteriormente. As músicas presentes originalmente no lado B de todas as cassetes recebidas pela banda através desse sistema são mantidas intactas. Dessa forma, se você tem em mãos uma fita reutilizada, poderá ouvir o que alguma pessoa, algum dia, já gravou nesse lado da fita. Torcemos pra que feche com o teu gosto.”

Será que alguém iria gostar das minhas fitinhas do Bryan Adams? Rs

Agora eu quero minha carteirinha de fã!

Bom feriadão! ; )

Música de sexta

Em clima de despedida do último fim de semana de outono.

“Sábado e Domingo”, interpretada pela irreverente Silvia Machete, uma das minhas artistas favoritas.

A hora não demora/ Porque é sábado e domingo/ Mais um dia e sigo tão beeeeeeeeeeeeeeeeeeem!

Me chame no final do mês!

Pra fazer junto!

Domingo é dia dos namorados. O Brasil sabe! O comércio tem boas expectativas de faturamento e os casais também. Muitos blogs, sites e revistas já deram suas diquinhas espertas pra surpreender o(a) amado(a) com presentes criativos e diferentes.

Claro que é importante acertar no mimo! Mas a gente sabe que, no fim das contas, bom mesmo é aproveitar a data pra ficar junto de quem a gente gosta. E foi pensando nisso que eu bolei um esquema com algumas dicas do que fazer pra comemorar nosso Valentine’s Day tupiniquim. Presentes trocados? Vamos às programações:

Para os cinéfilos:

Aqueles que gostam de voltar pra casa com algo mais, além das calorias da pipoca.

Mostra Inéditos BH

Desde o dia 23 de maio, O Cine Humberto Mauro apresenta filmes não exibidos no circuito comercial de Belo Horizonte. São seis títulos inéditos: Tio Boonmee, que pode recordar suas vidas passadas, do diretor Apichatpong Weerasethakul; Tetro, último filme dirigido por Francis Ford Coppola; Casamento Silencioso, produção romena dirigida por Horatiu Malaele; Madeimouselle Chanbon, dirigido por Stéphane Brizé, com roteiro adaptado do romance de Eric Holden; Não, minha filha, você não irá dançar, dirigido por Chistophe Honoré; e Godard, Truffaut e a Nouvelle Vague.

Os horários das sessões podem ser conferidos aqui.

Para os cinéfilos insones: 

Todo sábado, o Usiminas Belas Artes também exibe filmes inéditos na capital mineira, em pré-estreias exclusivas. As sessões são iniciadas depois das 23h30 e são gratuitas.

Confira os títulos de hoje:

O SAMBA QUE MORA EM MIM, Brasil, 2009, 72 min, livre. Direção: Georgia Guerra-Peixe. Documentário. Exibição digital.

“O SAMBA QUE MORA EM MIM” é um documentário ambientado no Morro de Mangueira, na cidade do Rio de Janeiro, no período do pré-carnaval. O ponto de partida é a quadra da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, lugar do reencontro da diretora Georgia Guerra-Peixe com sua própria história. É no inicio do documentário, em primeira pessoa, que a diretora conta o que o carnaval sempre significou na sua família e na sua vida. Da quadra, ela parte para subir o morro pela primeira vez, movida pelo desejo de ir além do samba. Um caminhar que naturalmente vai adquirindo variações melódicas e cadências rítmicas diferentes, resultando na composição do que poderia ser chamado de samba enredo documental ou um samba de olhar. Prêmio Especial do Júri na 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

USIMINAS BELAS ARTES CINEMA 1: Sábado, dia 11 de junho, às 23:50.

NÃO SE PODE VIVER SEM AMOR, Brasil,2010, 100 min,12 anos. Direção: Jorge Duran. Com: Cauã Reymond, Victor Navega Motta, Simone Spoladore, Angelo Antonio. Exibição digital.

23 de dezembro. Gabriel, de 10 anos, Roseli, de 30 anos, chegam ao Rio de Janeiro para encontrar o pai do menino que os abandonou anos atrás. Nessa noite, a travessia deles na cidade desconhecida os leva a encontrar João, jovem advogado desempregado e apaixonado, que procura desesperadamente uma solução para melhorar sua vida; Pedro, pesquisador universitário, encontra uma mulher que mudará sua vida, e Gilda, uma dançarina de boate que deseja ir embora da cidade, mas ainda está presa a felicidade que um dia deixou escapar. Todos eles estão vivendo situações limites que se tornam ainda mais fortes com a proximidade do Natal. Mas, desses encontros inesperados renasce a esperança em cada um deles e o sentimento de que não se pode viver sem amor.

USIMINAS BELAS ARTES CINEMA 2: Sábado, dia 11 de junho, às 23:50.

Para os que não vivem sem música:

Que tal namorar no… Metrô?! Isso mesmo, amanhã o BH Music Station apresenta Marcelo Camelo, Lobão, Tiê e Gravelover’s. Entre uma estação e outra, performances de dança, teatro, circo e música ao vivo nos vagões e corredores.

Ingresso: RS80,00  (inteira) e R$40,00 (meia). Mais aqui:  www.musicastation.com.br

Festival Natura Musical Minas

12 horas de música, em 4 praças da cidade: Praça da Liberdade, Estação, Duque de Caxias e Parque Ecológico Lagoa do Nado

E o que é melhor: é de graça, gente! Pra saber mais, clique aqui.

Para os ecológicos:

Passeio no parque, gente. Vale caminhada e corrida. Até picnic. O ideal é acordar cedo e aproveitar o solzinho gostoso de outono pra esquentar o dia. É saudável e não paga nada.

Para os gourmets:

O amor é causa engordis de qualquer mortal. Fato! Mas poucas coisas são tão boas quanto uma refeição em boa companhia. E se você, assim como eu, costuma correr da superlotação dos restaurantes no dia 12, a saída é programar um jantarzinho em casa mesmo. Eis, então, a oportunidade para que os homens do século XXI demonstrem suas habilidades culinárias.

Clique aqui pra ver a receita!

Ufa! Depois dessas dicas, agora é só desejar que seu fim de semana seja cheio de abraços e carinhos sem ter fim!  ; )

Até

No Dia Mundial do Meio Ambiente…

Que tal reciclar algo?

*imagens reproduzidas

E que tal recusar algo?

Sim, hoje nosso maior desafio é o de recusar o consumo. Difícil, principalmente nessa era de obsolescência programada, com o tempo de vida útil das coisas cada vez mais reduzido. De qualquer forma, no Dia Mundial do Meio Ambiente (e em todos os outros), vale parar um pouquinho e dar ouvidos aos chamados de “faça a sua parte”. Um clichê mais que necessário, né não?!