Trilha sonora para ajudar com a bagunça…

E ainda deixar a gente feliz. Música daquelas de mexer o quadril a cada peça guardada.

“When I look around I see blue skies/ I see butterflies for us/ Listen to the sound and lose it/ Its sweet music and dance with me”

Organizando… As malhas!

Assim, só pra não criar expectativas. Se alguém aí estava esperando ver aquele closet-dos-sonhos como exemplo para a organização, sinto dizer que vou decepcionar. O objetivo da coisa toda não é mostrar marcas, descrever o que tenho e tal, mas tentar dar dicas úteis de como manter tudo em ordem (ainda que se viva num quartinho bem pequeno, com um armário de três portas e uma cômoda para guardar tudo, como eu).

Também é claro que eu não elaborei as dicas sozinha. Para isso, contei com livros escritos por profissionais que atuam no ramo há tempos, como Titta Aguiar, por exemplo, umas das veteranas em consultoria de imagem no Brasil.

*imagem reproduzida

Começando pelas malhas:

“Tudo que não amasse deve ser guardado em gavetas, menos o tricô.”

E é verdade.  Eu separo as peças de malha assim: brancas, pretas, cinzas e de tons pastéis em uma gaveta, dobradas como se estivessem na loja, e coloridas, de tons vibrantes, em outra, em rolinhos (para facilitar a visualização).

O ideal é que haja uma padronização. Se você optar por rolinhos, que seja tudo em rolinhos. Se optar pelas peças dobradas, que sejam todas dobradas. No meu caso, faço uma gaveta de um jeito e outra de outro por uma questão de espaço. Como tenho mais peças de cores neutras, a gaveta ficaria muito confusa se eu as dispusesse em rolinhos. Na hora de pegar, ia ser um rolo só, literalmente.

Também é importante organizar as peças conforme as cores, do claro para o escuro, ou vice-versa.

E você? Como tem organizado suas malhas?