Quando se vê, já é setembro!

E eu arrebatada por aquela sensação de que, se não escrevo agora, as palavras fogem pra sempre. E aí se vão mais 40 dias sem que eu retorne ao meu refúgio aberto.

Falemos, então, dos 40 dias pra trás.

A começar pelo Papa, fui, vi, venci, e trouxe pra agosto e pra sempre um monte de palavras que deixaram a vida diferente. Sem mais para explicações, só um sentimento bom.  Fé  e esperança: como isso andava fora de moda em mim.

Continue Lendo “Quando se vê, já é setembro!”