Das coisas que a gente não esquece…

Era o 1º dia de aula de química da 1ª série do Ensino Médio. O professor era novo, daqueles modernos, desbocados e descabelados.  Ao se apresentar à turma, distribuiu papéis contendo um texto do qual fez questão de explicar frase por frase e o qual tenho guardado há 11 anos. Leio e releio sempre, cada vez compreendendo melhor a mensagem que esse professor quis transmitir naquela época.

Estou em um momento de recomeço. Voltei a trabalhar ontem, depois de ter dado um mês de férias ao meu cérebro hiperativo. Agora, volto a ver minha família de quando em vez ao longo do ano, a ter que me organizar direitinho pra cuidar de mim e a ter que me administrar financeiramente em meio a essa inflação absurda (gente, tudo aumentou demais!).

Não vou fazer drama, nem tenho o direito. Adoro essa vida! Mas há dias em que acordamos nublados e precisamos de um empurrãozinho alheio pra sentir que as coisas estão valendo a pena. E pra isso existem os mais diversos métodos.  Sei que cada um tem o seu. No meu caso, dentre os abraços, as músicas e os doces, eu tenho os textos.

Como não resolve falar do milagre sem o santo, (ou do santo sem o milagre, não sei), segue abaixo o querido:

Sonhos: viva-os ou deixe-os
(Geraldo Eustáquio de Souza)

Realizar aquele projeto
O ideal de uma vida inteira
Fazer aquela viagem
Tocar um instrumento
Ter um lugar todinho seu

Assumir o corpo, a mente e o espírito
Mergulhar de cabeça nas coisas do coração
Ficar numa boa, por dentro e por fora
Transar o visual, sem medo nem culpa,
Uns quilinhos a menos, uns músculos a mais

Novos amigos – os antigos sempre perto
Novos amores – os antigos sempre amigos
Novos valores – os antigos no lixo

Jogar tudo pro alto
Liberar geral
Recomeçar

Mudar a profissão – ou de profissão
Mudar o emprego – ou de emprego
Mudar o País – ou de País

Perder o medo de perder
E ir ganhar a vida
Fazendo o que se gosta
Levando uma existência feliz

*Imagem daqui

É simples né?! Mas acredite, ajuda!

E pra você, qual método funciona?